Conheça os Mitos e Verdades do Implante Dentário

1 – Apenas idosos podem realizar uma reabilitação por implante dentário

Mito. A idade mínima para a reabilitação com implantes dentários depende do final do crescimento do indivíduo, que ocorre em média aos 17 anos de idade.

2 – Quem já usa dentadura não pode mais se submeter ao tratamento com o implante

Mito. O paciente desdentado total pode sim ser reabilitado com implantes, porém depende da avaliação clínica e radiográfica do implantodontista para saber se a quantidade de osso remanescente é suficiente para a instalação dos implantes. Caso não seja, existe a necessidade da realização de enxerto ósseo prévio.

3 – Não existe rejeição do organismo ao implante

Verdade. Os implantes dentários são confeccionados em titânio, que é um metal biocompatível, ou seja, um material que o organismo não rejeita. Nos casos de perda de implantes (3% dos casos), não ocorreu uma cicatrização óssea adequada.

4 – A instalação dos implantes dentários deve ser feita o mais rápido possível para evitar a reabsorção óssea

Verdade. “Os implantes devem ser instalados o mais breve possível após a perda dentária, pois o osso alveolar sofre um processo de reabsorção fisiológica que pode prejudicar ou até mesmo inviabilizar a sua instalação”, afirma Dr. Luis Francisco Coradazzi

5 – Fumar atrapalha no tratamento por implante

Verdade. Artigos científicos demonstram que os pacientes fumantes apresentam um índice de insucesso de 11% na ósseointegração dos implantes, comparado aos 3% dos pacientes não fumantes.

6 – Doenças na gengiva devem ser tratadas antes de realizar o implante

Verdade. Os pacientes devem estar com a saúde bucal em dia para a instalação dos implantes.

7 – Existe apenas um tipo de prótese dentária

Mito. Para cada tipo de reabilitação existem vários tipos de próteses (unitárias, múltiplas, overdentures, protocolo). “Todas as próteses são muito duráveis”, enfatiza o Dr. Luis Francisco Coradazzi.

8 – Fazer um implante dentário ainda é muito caro

Mito. Com a evolução e propagação dos tratamentos com implantes dentários, o custo hoje é bem acessível aos pacientes.

10 – Em alguns casos, é possível instalar a prótese sobre o implante em até 48 horas.

Verdade. Esse tratamento é denominado “Carga Imediata”. Segundo o dentista do CCO – Centro de Cirurgial Oral, para a utilização dessa técnica, o implantodontista deve fazer um planejamento bem detalhado, pois ela não é aplicável a todos os casos.

Com as informações de Segs

13 anos de Dental ABS – 13 motivos para comprar conosco

No dia 14 de março completamos 13 anos de vida. Desde 2000 no mercado odontológico, a Dental ABS oferece, acima de tudo, confiabilidade e segurança. Estabelecida em São Paulo (capital), possui sede própria com mais de 500m² e atende uma enorme gama de clientes: consultório e clínicas odontológicas, laboratórios de prótese, profissionais liberais e hospitais.

Neste 13º aniversário oferecemos 13 motivos para comprar conosco:

1º – A Dental ABS possui politica de entrega com frete grátis para todo o Brasil*;
2º – Possuímos politica de troca fácil em 7 dias por conta da Dental ABS*;
3º – Nas compras a vista, oferecemos até 10% de desconto;
4º – Segundo avaliação do ebit, feito com nossos consumidores, somos loja Prata;
5º – Garantimos melhor preço. Caso encontre um preço melhor, cobrimos a oferta. Ligue-nos no 11 5581 0975;
6º – Aceitamos cartão BNDES na aquisição de suas compras;
7º – Televendas especializado oferecendo atendimento e suporte às suas compras;
8º – Entregas em até 24 horas na cidade de São Paulo*;
9º – Atendimento online em poucos minutos;
10º – Grande variedade de produtos em nossos estoques;
11º – Possuímos mais de 15 mil itens na nossa base de produtos;
12º – Presente ativamente nas principais rede sociais: Facebook, Twitter, YouTube e iDent;
13º – Possuímos loja própria com produtos a pronta entrega;

* – Consulte nosso site para saber das regras.

Má Higiene Bucal e Prótese mal adaptada podem causar câncer de língua

A má higiene bucal e prótese mal adaptadas podem contribui para o surgimento de câncer de lingual. Isso porque usuários de tabaco/álcool normalmente se descuidam da saúde oral, o que propicia infecções que contribuem para o quadro.

O INCA – Instituto Nacional do Câncer – estima 14.170 novos casos de câncer na boca para este ano. Os tumores de cabeça e pescoço correspondem a cerca de 10% dos tumores malignos que acometem o ser humano; desses 40 % situam-se na cavidade oral, mais comumente na língua e soalho de boca.

Na língua, a lesão pode apresentar-se como uma afta ou lesão ulcerada, ambas dolorosas e de fácil percepção. “O paciente deve procurar imediatamente um profissional especializado quando essa lesão ulcerada não melhora com tratamentos, progride e aumenta de tamanho, começa a sangrar e apresentar bordas endurecidas”, afirma o médico Roberto Elias, especialista em cirurgia de cabeça e pescoço. Outra manifestação pode ser apenas uma lesão plana vermelha (eritroplasia) ou branca (leucoplasia) que habitualmente são indolores. Nesses últimos casos, geralmente são diagnosticadas em estágios mais avançados da doença.Segundo o médico Elge Werneck Araújo Júnior, oncologista da CLINONCO, o álcool e tabaco são os principais fatores de risco, de forma independente. Porém, quando associados, o potencial oncogênico aumenta de forma considerável, em até 140%.

“Ressalto que o tabaco é um fator de risco não apenas em forma de cigarro, mas também em fumo para mascar”, diz. Há, ainda, outros fatores de risco: infecções, em especial pelo HPV e trauma repetitivo local, geralmente causado por próteses dentárias mal adaptadas.

Diagnóstico

O INCA recomenda que, diante de alguma lesão que não cicatrize em um prazo máximo de 15 dias, deve-se procurar um profissional de saúde (médico ou dentista) para a realização do exame completo da boca. A visita periódica ao dentista favorece o diagnóstico precoce do câncer de boca, porque é possível identificar lesões suspeitas.

Sintomas

- lesões na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias
- manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, palato (céu da boca), mucosa jugal (bochecha)
- nódulos (caroços) no pescoço
- rouquidão persistente

Nos casos mais avançados observa-se:

- Dificuldade de mastigação e de engolir
- Dificuldade na fala
- Sensação de que há algo preso na garganta
Tratamento

Se diagnosticado no início e tratado da maneira adequada, a maioria (80%) dos casos desse tipo de câncer tem cura. Geralmente, o tratamento emprega cirurgia e/ou radioterapia. Os dois métodos podem ser usados de forma isolada ou associada. As duas técnicas têm bons resultados nas lesões iniciais e a indicação vai depender da localização do tumor e das alterações funcionais que possam ser provocadas pelo tratamento. As lesões iniciais são aquelas restritas ao local de origem.

Com as informações de Terra