O Black Friday no mercado de Odonto e Prótese

Sempre em novembro, o Black Friday acontece no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças, data celebrada nos EUA. Para os consumidores que compram pela internet, trata-se de uma ótima oportunidade de economizar . Por outro lado, para os varejistas representa a grande chance de limpar estoques para receber produtos de natal ou para a próxima coleção.

A ação ainda pode ser percursora das compras de fim de ano para os clientes, porém que eles tenham que enfrentar as costumeiras filas, muito comuns nesta época. No ano de 2012 após os recordes de venda, faturamento e número de lojas participantes no exterior, o mercado brasileiro se animou com a pratica. É importante, no entanto, ficar atento as famosas propagandas enganosas, nos estilo de “tudo pela metade do dobro do preço”.

No ramo da odontologia as empresas também entraram na onda. No caso da Dental ABS a promoção não deve ocorrer apenas no dia 28, mas em 12 dias que compõe as sextas-feiras e os finais de semana de Novembro. No ramo de prótese dentaria a empresa foi a primeira a aderir à promoção em 2013, e repete neste ano com descontos que podem atingir até 40%.

 

 

Ministério Público Federal investiga CFO

O Ministério Público Federal abriu duas investigações, uma cível e outra criminal, contra o Conselho Federal de Odontologia (CFO) e seu atual presidente, Ailton Diogo Morilhas Rodrigues. As denúncias se referem a pagamentos irregulares de contas pessoais do presidente da autarquia, além de festas e diárias de hotel. Cinco conselhos regionais assinam o pedido de investigação encaminhado à procuradoria.

As irregularidades teriam ocorrido no conselho ao longo dos últimos oito anos. Ailton Rodrigues – que nega as acusações – ocupou o cargo de vice-presidente nos últimos dez anos e acaba de ser eleito para a presidência do órgão. As denúncias foram oficializadas por um ex-funcionário que exerceu cargo de tesoureiro no CFO durante 11 anos e um empresário que prestava serviços por meio de uma agência de viagens. Ambos registraram em cartório as acusações, encaminhadas ao Ministério Público.

Segundo as denúncias, Rodrigues teria ordenado pagamentos superfaturados e fictícios quando era presidente em exercício e pago contas pessoais e de familiares, além de ter assinado cheques em 2009 com notas fiscais também irregulares. Na declaração do ex-funcionário Kleber Vidal, antigo tesoureiro, são citados gastos ilegais com festas.

No documento, registrado em 28 de agosto deste ano, ele também declara que ?no ano de 2006, na cidade de Angra dos Reis, pagou despesas com festas no valor de R$ 42 mil no Hotel Blue Tree, sem licitação e com pessoas estranhas ao sistema CFO?. O atual presidente nega que tenha havido esse encontro em Angra.

Já o empresário Alexandre Rodrigues de Oliveira afirma ter pago, entre os anos de 2005 e 2006, despesas de hospedagem e alimentação de Ailton Rodrigues, bem como de seus familiares, por meio de sua agência de turismo, a Shop Travel. Segundo Oliveira, o dirigente do CFO recebia diárias para esse custeio por meio do CFO e, portanto, superfaturava os gastos.

As primeiras denúncias vieram à tona neste ano em rede sociais. Com base nos indícios e nas declarações, os Conselhos Regionais de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Goiás e Sergipe as encaminharam para a procuradoria. No pedido de investigação, os presidentes dos conselhos afirmam que as denúncias, ?caso comprovadas, representam a ocorrência de graves delitos tipificados na legislação penal brasileira?.

Apuração

Um dos signatários do pedido de investigação, o presidente do Conselho Regional de Odontologia do Rio de Janeiro, Afonso Fernandes Rocha, afirmou que a ideia do encaminhamento é exatamente averiguar os indícios. ?Como nós não temos como apurar, houve esse pedido à procuradoria para que se descubra a verdade.?

Na mesma linha, o presidente do Conselho de Minhas Gerais, Arnaldo Garrocho, diz que não podia fugir da ?responsabilidade? de seu cargo, por isso fez o pedido oficial de investigação. ?Recebemos denúncias e encaminhamos. Por uma questão ética, o conselho federal foi o primeiro a saber da denúncia.?

Apesar disso, o presidente do CFO, Ailton Rodrigues, afirmou por e-mail que desconhece ?tais acusações?. Ele, que negou ter assinado cheques que fazem parte da denúncia, atribuiu as acusações ao processo eleitoral. ?Trata-se de denúncia de ex-funcionário e ex-fornecedor que somente surgiram por ocasião do pleito eleitoral do CFO?, afirmou. Segundo ele, os cinco presidentes dos conselhos regionais que assinam o pedido de investigação fazem parte da oposição.

O Ministério Público recebeu a denúncia no dia 24 de outubro e ainda não ouviu os envolvidos. O ex-tesoureiro Kleber Vidal não quis dar entrevistas. Já o ex-proprietário da agência de turismo, Alexandre de Oliveira, não respondeu às mensagens encaminhadas pela reportagem.

Fonte: Exame

Por que os Produtos Protecni duram mais?

A Dental ABS possuí parceria com diversas empresas do ramo odontológico com ênfase no mercado de prótese dentária, e uma delas é a Protécni, de Araraquara no interior de São Paulo, considerado um importante pólo odontológico do Brasil representado pela Faculdade de Odontologia da Unesp, reconhecida internacionalmente.

A Protecni foi criada em 2004 com o objetivo de oferecer ao mercado, produtos de alta qualidade. De acordo com o site da empresa, nos últimos anos a Protecni vem autuando no mercado de maneira mais presente, fazendo com que ganhe espaço no mercado, em todas as regiões do Brasil, oferecendo assistência técnica qualificada e eficiente aos revendedores e consumidores.

Seus produtos possuem um design diferenciado e funcional, tornando mais eficientes e sobretudo duráveis, seguindo um padrão de qualidade que é referência no mercado odontológico. Para isso, a Protecni desenvolve constantes pesquisas, aprimoramento técnico e visão estratégica conferem ao nosso produto confiabilidade e durabilidade.

Além do ramo de prótese, sua linha de produtos atende as mais diversas áreas, como a ortodontia, ferramentaria, aeromodelismo, metalocerâmica, metaloplástica, ourivesaria,radiografia,revelação e pode ser encontrada nas melhores casas dentais do Brasil.

Odontologia oncológica auxilia no tratamento do câncer

Na quarta edição do Simpósio de Odontologia Oncológica, foi debatido a importância no combate estratégico aos tumores de pescoço e cabeça.

De acordo com a responsável pelo simpósio, a cirurgiã dentista e estomatologista da Clínica Odontomãe do Mãe de Deus Center, Karen Weigert, o câncer de cabeça e pescoço vem crescendo no Estado, especialmente na população feminina. Dados do Instituto Nacional do Câncer apontam que a estimativa das taxas brutas de incidência em 2012 no Rio Grande do Sul era de 630 novos casos, cujos valores na Capital para os homens era de 80 novos casos e para as mulheres era de 30 novos casos. Já a mesma estimativa para 2014 é de 840 casos no Estado, sendo 90 em homens e 60 em mulheres. O evento será realizado no Centro de Eventos da Fiergs em Porto Alegre, na avenida Assis Brasil, 8.787.

Jornal do Comércio – Quais os motivos do aumento da incidência destes tipos de câncer no Estado?


Karen Weigert -
 Os cânceres de boca, que são os que mais apresentam crescimento no Estado, tem maior prevalência devido à cor da pele e à exposição ao sol, sendo o problema intensificado pelas condições da camada de ozônio. Entretanto, o consumo de álcool e o fumo são os principais agravantes. Então, continuamos tendo muitos casos de doenças que são evitáveis e que apresentam uma grande repercussão social, estética e econômica.

JC – Qual a importância do tema do Congresso, que aborda a multidisciplinaridade durante o tratamento do câncer?

Karen - Temos vários tipos de câncer na região da cabeça e pescoço, como os carcinomas, que são os mais comuns, os linfomas e tumores ócios e neurais. O grande problema é o tratamento, que geralmente é feito com cirurgia, comprometendo a vida destas pessoas. A boca é por onde nos alimentamos e nos comunicamos. Além disso, a dor gerada por estes procedimentos é muito grande, pois não podemos deixar de usar esta parte do corpo. A equipe precisa ser múltipla, porque, após a cirurgia, é preciso tratar a fala, com uma fonoaudióloga, e buscar uma nutricionista para cuidar da alimentação, entre outros especialistas.

JC – Qual o trabalho realizado pela especialidade de odontologia oncológica?

Karen - Trabalhamos em conjunto desde o diagnóstico. Se o paciente for passar por uma quimioterapia ou radioterapia, é preciso que todos os elementos dentários estejam sem infecções. Então, retiramos as cáries e fazemos tratamentos de canal e extrações necessárias. Nós sabemos também que, após a radioterapia, este paciente nunca mais terá o mesmo padrão de cicatrização óssea. Durante o tratamento, podemos cuidar das alterações que podem acontecer e tratar as mucosites, que geram feridas na boca. A terceira etapa seria no sentido de preservar os dentes, pois a saliva fica alterada e alguns pacientes perdem as funções das glândulas salivares, o que facilita o aparecimento das cáries.

Com as informações de Jornal do Comercio