Dietas a base de carne e alimentos fibrosos não prejudicam a primeira dentição

Pesquisas feitas com povos indígenas da Amazônia observaram que os bebês são amamentados exclusivamente no seio até a erupção dos primeiros dentes. Depois disso, é introduzida na dieta carne de caça, farinha de mandioca, frutos silvestres e alimentos secos, duros e fibrosos. Analisando as arcadas dentárias dos mais velhos, verificou-se perfeita oclusão e presença de todos os dentes. “Os dentes têm função primordialmente mastigatória, e é importante exercitá-la. Dentes saudáveis estão preparados pra uma dieta com alimentos mais consistentes, mesmo dentes de leite”, diz Ana Paula Pasqualin Tokunaga, cirurgiã-dentista e autora do blog Medo de Dentista.

Com as informações de Terra

Conheça a história da escova de dentes

Os homens da caverna podiam não conhecer a escova de dentes, mas tentavam limpá-los com galhos e folhas de árvores. Os assírios usavam as mãos e dedos. Manuscritos encontrados na antiga Babilônia indicam que palitos de ouro eram utilizados para a higiene bucal há 3.500 anos a.C.  Já os grego lançavam mão de penas de abutre e espinhos de porco-espinho. Até Aristóteles se preocupava com a saúde da boca. No século III a.C., o filósofo aconselhou Alexandre o Grande a limpar seus dentes com uma toalha de linho para tratar o sangramento das gengivas.

>O objeto que chegou mais perto de uma escova foi achado no Egito. Nada mais era que ramos de plantas, fibras vegetais ou raízes de árvores que, quando desfiados, pareciam um pincel. Conhecida como “chew stick” – ou palito de mascar – a escova era feita mastigando-se ou amassando as pequenas raízes até que as fibras de uma das pontas se soltassem o suficiente para formar uma escova rústica.

No século XV, na China, a matéria-prima para as escovas eram pelos de animais, principalmente de porcos e cavalos, que eram amarrados a pedaços de ossos ou varas de bambu. O problema é que as escovas machucavam a boca das pessoas, além dos pelos acumularem umidade e acabarem mofando. Para agravar a situação, as famílias compartilhavam a mesma escova. Assim, um passava doenças bucais para o outro.

Foi no século XVIII que ingleses apresentaram ao mundo uma escova dental mais moderna. A diferença é que e as cerdas de pelo de porco eram amarradas dentro de buracos perfurados no osso que servia como cabo. A escova mais antiga da Europa tem aproximadamente 300 anos e foi descoberta durante escavações arqueológicas em um antigo hospital municipal de Minden, na Alemanha.

As cerdas de náilon, que usamos hoje, foram desenvolvidas em 1938 por Robert Hutson, nos Estados Unidos.  Com o sucesso do novo modelo, muitos formatos foram testados desde então. “Hoje, sabe-se que o mais indicado é usar escova com fibras ultramacias com mais de cinco mil cerdas, o que permite que a higiene seja feita sem desgastar o esmalte dental ou machucar as gengivas”, diz o cirurgião-dentista, Hugo Roberto Lewgoy. É bom que se diga que a técnica de escovação também é muito importante e deve ser realizada sempre com escovas novas de forma suave e sem força excessiva.<

O homem já usou galhos, folha e até palitos de ouro para limpar os dentes. Por um longo período as escovas eram feitas com um osso como cabo e pelos de animais como cerdas. Uma escova mais parecida com a que usamos hoje, achada por paleontólogos na Europa, tem cerca de 300 anos. As cerdas de náilon, como conhecemos, surgiu apenas em 1938.

Com as informações de Terra

Dentista usa terapia com cachorro para acalmar pacientes

Em Seattle, nos Estados Unidos, um dentista tenta diminuir o medo dos pacientes de uma maneira bem inusitada. Ele criou uma terapia que usa um cachorro. Entre um afago e outro no animal, o paciente vai esquecendo que está sentado na cadeira do dentista.

Só de entrar no consultório, Mônica Johnson ficava em pânico. Tinha que respirar fundo. Ela tentava relaxar com exercícios de respiração para diminuir o estresse, mas eles não faziam muito efeito.

Aí, entrou na sala o grande trunfo do dentista Bob Berman: Humphrey. O cachorro da raça labradoodle tem três anos de idade e foi treinado durante um ano para acompanhar pacientes. De tão especial, o bicho tem até certificado de cão de terapia.

Com essas credenciais, foi amor à primeira vista entre Mônica e Humphrey. Durante o tratamento, o dentista permite que a paciente segure a pata do cachorro, que dorme tranquilamente em uma caminha ao lado da cadeira e nem toma conhecimento do nervosismo dela. Enquanto isso, bem mais calma, Mônica vai sendo examinada pelo dentista e a assistente dele.
Para Mônica, a presença de Humphrey foi uma mudança radical. Há quinze anos ela não permitia e nem conseguia que seus dentes fossem examinados. Pelo jeito, Humphrey vai ter muito trabalho daqui pra frente.

Com as informações de Globo News

Escova de dente 3D que reduz a escovação a 6 segundos é entregue em todo o mundo

Alguns meses atrás, a Blizzident trouxe uma ótima notícia aos mais apressados. A pequena empresa espanhola criou uma escova de dente que higieniza a boca em apenas seis segundos. Agora o produto já é entregue em todo o mundo.

A empresa é composta por um time de dentistas, engenheiros, cientistas e experts em profilaxia dental. A ideia era usar a tecnologia avançada para melhorar radicalmente o escovar dos dentes.

Não basta ter pressa, é preciso ter um bom dinheiro para aportar no produto. Para quem mora na Europa e todos os outros países exceto Estados Unidos e Reino Unido, a escova custa meros € 299 (o equivalente a R$ 879,06). Além disso, a empresa solicita que seja enviado um molde da arcada dentária do usuário, que pode ser feito com um dentista. Há também a possibilidade de enviar pela internet um arquivo 3D, feito com equipamentos específicos.

Com as informações de IG